Infográfico: 12 Remédios Naturais Eficazes contra Dor na Garganta

Conheça alguns remédios naturais que você pode fazer na sua casa para combater a dor na garganta.

A dor na garganta, em geral, significa que há inflamação nas  amígdalas e na laringe, principalmente, provocando um inchaço que dificulta a ingestão de alimentos e líquidos.

Esses são órgãos do sistema linfático que ficam super estimulados por conta de uma infecção viral ou bacteriana.

Muitas vezes ligado à gripes e resfriados a dor na garganta igualmente pode ser um sintoma de outros males.

Fique atento aos sinais e se cuide com remédios naturais!

Sintomas de dor na garganta

A própria dor e o incômodo quando tentamos engolir algo, mesmo líquido, podem ser sinais de que você está experimentando uma dor na garganta.

Podemos observar placas de pus quando abrimos a boca e olhamos para o fundo no seu reflexo em alguns casos agudos de dor na garganta.

Esse tipo de problema envolve sintomas de calor:

  • rubor, que é a vermelhidão;
  • calor, a febre;
  • tumor, que representa o inchaço;
  • e a dor, propriamente dita. 

Além disso, rouquidão e tosse seca são outros sintomas associados à dor na garganta.

Tratamento natural para dor na garganta

Repouso e beber muito líquido são duas das principais recomendações quando se está com dor na garganta.

Além dessas indicações você também pode contar com remédios naturais e eficazes que você mesmo pode fazer em casa ou adquirir alguns deles em farmácias na forma de fitoterápicos.

12 Remédios Naturais Eficazes contra Dor na Garganta

Água morna e sal

Você pode usar água morna e sal para fazer gargarejos que atuam para diminuir o inchaço, e, desse modo, a dor na garganta.

O sal ajuda a desidratar a região e a limpar o excesso de muco.

Para essa receita você vai precisar de uma xícara de água morna e meia colher de chá de sal.

Você pode repetir o gargarejo no máximo três vezes ao dia, conforme o necessário.

Mel quente e limão

O mel tem propriedades anti-inflamatórias naturais e por isso contribui para a redução da dor na garganta. Porém ele não atua nas causas da garganta inflamada em si.

O mel também possui propriedade mucolítica, ou seja, ele dissolve o muco das vias respiratórias, facilitando a expectoração, diminuindo a dor e a inflamação. 

E o limão é um anti-inflamatório natural e possui vitamina C, que fortalece o sistema imunológico e ainda pode combater o cansaço e a fadiga.

Cravo

O cravo contém propriedades bactericidas, antivirais, e costuma ser usado como anestésico e antisséptico para o alívio de dores de dente.

Você pode mastigar o cravo para aliviar a dor na garganta. Um ou dois cravos são o bastante. Assim que ficarem moles você pode mascá-los como chiclete.

Chá de alcaçuz

O chá de alcaçuz traz a sensação como de um emplastro por sua aderência nas paredes da garganta, como se fosse um doce.

Chá de raiz de ruibarbo

Além do chá ele pode ser ingerido cru, usualmente preparado junto a saladas.

Apesar de seus inúmeros benefícios, não se deve consumi-lo em excesso, pois pode trazer complicações gastrointestinais e fisiológicas.

Chá de casca de romã

Você não irá tomar o chá mas usá-lo para gargarejos.

Esse chá é feito com a casca da romã.

Você faz o chá e após esfriar você faz gargarejos de 1 minuto.

Tintura de romã

Outra forma de usar a romã para dor na garganta é usar a tintura da fruta.

Dila 30 gotas em 1/2 copo de água e faça gargarejos aos primeiros sinais de dor de garganta.

Chá de hortelã

O hortelã contém mentol, uma substância que ajuda a tornar o muco mais fluido e ajuda a aliviar a dor na garganta.

Além disso, o chá de hortelã tem propriedades anti-inflamatórias, antivirais e antibacterianas que ajudam a curar dores de garganta mais rapidamente.

Chá de gengibre

O gengibre é um potente anti-inflamatório natural que age na causa da dor na garganta.

Diminuindo o inchaço da inflamação a dor na garganta tende a desaparecer se não tiver outras causas.

Chá de camomila

A camomila além de ser geralmente usada como calmante leve também contém substâncias analgésicas naturais. 

Além disso, possui propriedades antiespasmódicas, que relaxam os músculos e ajudam a relaxar da tensão da dor na garganta.

Água de alho “lunarizada”

A água de alho traz ótimos resultados após poucas horas do seu consumo.

Esse remédio natural traz ótimos efeitos em pouco tempo.

Para fazer a água de alho “lunarizada” você vai precisar de:

  • 100ml de água
  • 1 dente de alho

Como preparar:

  1. Quebre o alho e o coloque, descascado, no copo com 100ml de água.
  2. Deixe dormir e na manhã seguinte estará pronto para consumo. Todo o príncipio ativo do alho ficou na água.
  3. Tome pequenos goles da preparação. 

Provavelmente até o horário do almoço você já deve ter tomado todo o remédio e já irá sentir o alívio na dor na garganta.

Óleo essencial de eucalipto

Você pode utilizar o óleo essencial de eucalipto para fazer um banho ou inalação.

Aprenda a fazer remédios naturais 

A dor na garganta, comum em gripes e resfriados geralmente se deve a uma inflamação, que causa dor e inchaço, ligadas a sintomas de calor na medicina natural.

Para lidar com esse problema, conhecemos no texto alguns remédios naturais e acessíveis mesmo em nossas casas.

Mas para poder escolher os remédios ideais, bem como as plantas, e conhecer mais sobre como conservar e criar remédios naturais você pode se aprofundar mais no universo da medicina natural.

Para saber mais inscreva-se em nosso curso S.O.S Plantas Medicinais.

Dor no Estômago: 2 receitas caseiras para acabar com o incômodo

Aprenda duas receitas que irão te ajudar no alívio dos sintomas de dor no estômago.

Provavelmente você já conheceu alguém que recomendou para você  diversos tipos de chás  tiveram alguma hortinha em casa, causando algum estranhamento enquanto duvidava da eficácia deles, mas antes de expor os benefícios comprovados dos usos de plantas medicinais, é importante compreender o funcionamento do seu organismo.

Qual a função do estômago?

O estômago é um dos principais órgãos do sistema digestivo. Esse sistema é responsável pela ingestão e absorção de nutrientes. Juntamente com o estômago, temos o baço e o pâncreas que exercem importantes papéis no bom funcionamento do sistema digestivo. O funcionamento normal permite que ao receber alimentos, ele possa ser transformado em sangue, distribuindo para outros tecidos do corpo, possibilitando também nossa nutrição. 

O que causa dor no estômago?

Sabe-se que o mal funcionamento do nosso corpo, pode trazer complicações para a nossa saúde, por isso é importante entender o que causa determinadas sensações de desconforto, como as dores no estômago, por exemplo. As principais causas de dor no estômago são:

  1. Dieta pobre nos alimentos adequados;
  2. Trabalhos em excesso sem descanso ;
  3. Falta de atividade física. 

Sintomas relacionados a dor no estômago:

Esses sintomas relacionados podem aparecer especialmente após as refeições:

  1. dor na região abdominal;
  2. náuseas;
  3. arrotos;
  4. cansaço.

Os incômodos também podem aparecer no âmbito psíquico, levando em consideração que corpo e mente são integrados em suas funções. Portanto, é comum que além dos incômodos orgânicos mencionados anteriormente, você tenha dificuldade em se concentrar, sensação de fraqueza e cansaço, cabeça pesada, e excesso de pensamentos. 

Remédios Naturais para Dor no Estômago

Os medicamentos vendidos em farmácias nunca foram a única opção para tratamentos de dores em geral. Há séculos utiliza-se técnicas para extrair substâncias de plantas e raízes, fazendo uso de todos os seus benefícios. 

Como já mencionado, diversos são os alimentos riquíssimos em nutrientes e que podem ter uma função tão eficaz quanto aqueles medicamentos que podemos comprar. Essa é a melhor parte, pois muitos já estão presentes em nosso dia a dia e talvez você nunca tenha parado para pensar que ele poderia ser uma grande aliado. 

Chás Caseiros para Dor no Estômago

Conheça agora duas receitas caseiras que podem te ajudar no alívio das dores no estômago: 

Chá de casca de laranja seca, cálice de caqui e noz moscada

Usar 20 minutos após a refeições como digestivo

Ingredientes:

  • 1/2 colher de sobremesa de noz moscada ralada
  • 1 casca de laranja minimizada 
  • 1 litro de água fervente 

Preparo:

  • 1° Coloque 1 litro de água para ferver
  • 2° Adicione a noz moscada ralada e deixe ferver por 5 minutos
  • 3° Em seguida, adicione laranja e o cálice de caqui picado e deixe ferver por mais 5 minutos. 
  • 4° Deixe o chá descansar por 15 minutos e coe

O chá deve ser ingerido após 20 minutos das refeições. Serão consumidas cerca de 3 xícaras ao dia durante 7 dias ou até persistirem os sintomas.
Funcionamento do chá medicinal no organismo:

A casca de laranja atua diretamente na circulação da energia estomacal. O cálice de caqui auxilia no processo de descongestionamento, na mesma região. Por outro lado, a noz moscada, além de desobstruir, é capaz de drenar a umidade presente na região. 

Chá de gengibre 

Ingredientes:

  • 1 pedaço pequeno de raiz bem cortada
  • 1 litro de água fervente

Preparo:

  • 1° Adicione a raiz de gengibre na água fervente por 10 minutos
  • 2° Após os 10 minutos, desligue o fogo e aguarde 15 minutos após desligado
  • 3° Coe 

Diferentemente da receita anterior, este chá deve ser consumido 20 minutos antes das refeições, isso porque a raiz do gengibre possui propriedades capazes de auxiliar nos sintomas de má digestão, auxiliando na prevenção de cólicas, náuseas e outros sintomas. 

O que é bom para a dor no estômago? 

Saiba quais alimentos podem auxiliar na prevenção de dores no estômago e má digestão.

Além da eficácia das receitas anteriormente mencionadas, é importante que seja introduzido na sua rotina alimentar alguns alimentos que agem diretamente no funcionamento do sistema digestivo, isto é, que exercem funções benéficas para o estômago, baço e pâncreas. 

A inclusão de alimentos amarelos, de raízes, como por exemplo abóboras e mandioquinha, inhame, castanha, amendoim, girassol, podem ser úteis no fortalecimento do sistema digestivo. É também necessário tomar cuidado com a ingestão excessiva de alimentos crus, gordurosos e com grande quantidade de açúcares branco, pois podem contribuir fortemente para dores no estômago.

Além disso, algumas ervas também podem ser adicionadas ao seus chás, auxiliando na queimação estomacal e dores. São elas: fenogrego, astrágalo e ginseng.

Conclusão 

Para compreender o funcionamento do sistema digestivo, a causa dos principais incômodos e dores, e entender como as ervas e alimentos podem ser úteis para aliviar dores no estômago, se inscreva em nosso Curso SOS Plantas Medicinais e fique por dentro do que há de melhor no campo da medicina natural. 

Sintomas de Problemas no Coração: O que isso significa para a Medicina Natural?

 

Conheça 6 sintomas de problemas no coração e como preveni-los com estes 4 chás naturais.


Ter o hábito de uma vida saudável pode auxiliar na prevenção de problemas no coração, mas outro fator importante nesse processo é a compressão de quais são os indícios e sintomas de que algo não está funcionando bem. 

Sintomas de Problemas no Coração

É possível identificar se você tem problemas de coração através da rotinas de exames com um cardiologista, e também através da observação de alguns sintomas como: 

  1. dores no peito;
  2. palpitações;
  3. falta de ar;
  4. desmaios;
  5. enjoos;
  6. sudoreses.

Quais são os tipos de problemas no coração?

Como mencionado, há uma série de sintomas que podem ser indícios de problema no coração, ou seja, de que algo não está funcionando como deveria.

Abaixo estão listadas algumas das doenças cardíacas que podem ser desenvolvidas no decorrer da vida de uma pessoa, mas que também podem ser evitadas e cuidadas com as precauções e tratamentos adequados. São algumas delas: 

  • Hipertensão
  • Infarto
  • Doença Coronária
  • Cardiopatia congênita
  • Doença Arterial
  • Insuficiência Cardíaca
  • Miocardites

O que pode causar problemas no coração?

Além da condição genética, os hábitos alimentares e do cotidiano, como o sedentarismo, por exemplo, podem ter grande influência para desencadear problemas no coração.

Além disso, os fatores emocionais podem contribuir para o funcionamento indevido do coração, como por exemplo o estresse, a ansiedade, advindos dos mais diversos motivos e contextos.
Por esse motivo, não devemos levar em consideração apenas o fator genético, pois a qualidade de vida que levamos também exerce um importante papel nesse processo.

O Coração na Medicina Natural


Alguns medicamentos fitoterápicos, a alimentação adequada e o preparo caseiro de alguns chás, podem atuar diretamente no funcionamento do nosso organismo, reduzindo assim alguns sintomas e efeitos causados pelo mal funcionamento cardíaco ou até mesmo preveni-lo.

Os alimentos com suas propriedades naturais e em combinação com as propriedades de outros alimentos, podem atuar diretamente em nosso corpo, beneficamente falando. Para isso, é importante compreender quais alimentos são ricos em determinadas substâncias que contribuem para a redução do mal colesterol, como aqueles que possuem função antioxidante, auxiliando o sangue a bombear melhor, por exemplo.
Além disso, como mencionado, a combinação de algumas ervas medicinais pode também beneficiar, isso porque algumas podem potencializar a ação de outras. 

Como prevenir problemas no coração a partir da medicina natural?


Ao levar em consideração os bons hábitos, a psicossomática e a introdução de algumas estratégias alimentares, podemos prevenir o desenvolvimento de cardiopatias sem que necessariamente precise chegar ao ponto de fazer uso de remédios contínuos.

A natureza oferece ervas, plantas e raízes que podem nos auxiliar a ter uma boa qualidade de vida, basta saber usá-las. É por esse motivo que se entende a importância e a responsabilidade da medicina natural para a nossa saúde. 

4 Chás para Fortalecer o Coração:

Para destacar alguns benefícios: 

Chá branco: obtido a partir da planta Camellia sinensis, auxilia no processo de aceleração do metabolismo, devido às suas propriedades ricas em vitaminas e antioxidantes, que contribuem para a redução do mal colesterol, por exemplo. Além disso, tem o importante papel de contribuir para o reforço da imunidade. 

Chá verde: Outro chá produzido a partir da planta Camellia sinensis, possuindo também função antioxidante, auxilia na melhora da circulação sanguínea. 

Chá preto: também obtido a partir da planta Camellia sinensis, porém com um sabor mais forte, auxilia no processo de concentração e foco, podendo estar associado na contribuição de redução do estresse, além de possuir função antioxidante e anti-inflamatória, assim como o chá branco.

Chá mate: originado da erva mate, a partir da planta Ilex paraguariensis, o chá mate possui em sua composição, nutrientes que auxiliam no aumento da concentração mental, proteção ao coração, também atuando com sua função antioxidante, além de ser uma boa fonte de energia para que você sinta-se mais dispostos para levar uma vida menos sedentária, podendo ser um aliado da prevenção de problemas no coração.

Conclusão 

O uso de receitas naturais não substitui o acompanhamento médico e o uso de outros medicamentos, mas é importante destacar que o conhecimento de chás medicinais e plantas naturais pode ser útil para prevenção e tratamento natural de determinadas doenças.
Em nosso curso online de fitoterapia você pode aprender sobre os diversos usos das plantas para fins medicinais

Não é de hoje que plantas, folhas e raízes medicinais providas pela própria natureza e utilizadas por nossos antepassados, têm sido estudadas e indicadas cada vez mais devido à comprovação de seus benefícios para a saúde.
É importante buscarmos informação e estar aberto às possibilidades do que temos de mais natural em nossa sociedade: as ervas medicinais com suas ricas propriedades.

Infográfico: 5 tratamentos naturais para diminuir o Inchaço e má circulação

Saiba como lidar com o inchaço e a má circulação com receitas naturais em sua casa.

Você sabia que o sistema circulatório tem estreita relação com a fala?

Para a medicina natural a circulação sanguínea afeta a fala e outras funções do nosso corpo.

Até mesmo nossa aparência pode denunciar o mal funcionamento do nosso coração ou da estrutura circulatória.

Além do inchaço, sintomas como insônia, cansaço e ansiedade podem estar relacionados a um desequilíbrio no sistema circulatório.

inchaço

O inchaço e a circulação na medicina natural

O inchaço é sinal de desequilíbrio para a medicina natural.

Ele geralmente afeta pernas, pés, abdome e as mãos.

O processo que leva ao inchaço ou edema demonstra que o líquido que estava nos vasos sanguíneos transbordou para o tecido subcutâneo da nossa pele.

O coração e a consciência

O coração é o principal órgão que lembramos quando falamos da circulação.

Esse potente músculo bombeia o sangue para todo nosso corpo levando oxigênio e nutrientes enquanto retira substâncias nocivas para nossas células.

Ele consequentemente atua na manutenção da nossa consciência, nos mantendo alertas e permitindo que nos movimentemos pelo mundo.

Essa consciência pode ser observada pelo brilho de nossos olhos e pelo aspecto de nossa face.

O que é bom para melhorar a circulação?

O que fazer com o inchaço e a má circulação que podem trazer dor e incômodo para nossa rotina?

Um complexo de veias e artérias que se ramificam por todo nosso corpo e parece ter uma sabedoria inquestionável talvez desperte reverência e receio.

Mas manter um sistema circulatório saudável pode ser mais fácil do que você imagina.

Tratamentos naturais para diminuir inchaço e má circulação

Você verá que observar alguns cuidados gerais pode diminuir o inchaço e melhorar sua circulação sem grandes mudanças na sua rotina. 

Medidas como cuidar do sono, dormindo em horários regulares, e observar a boa higiene do sono (que inclui desligar antecipadamente telas e aparelhos eletrônicos antes de dormir).

O tratamento natural do inchaço também envolve o uso de plantas medicinais que vão promover a circulação sanguínea.

Coma mais vegetais verde escuros

Acrescentar na dieta folhas verdes escuras e raízes

cozidas para combater a má circulação.

Esses alimentos, como couve, agrião e espinafre são ricos em nitratos, uma substância que se transforma em óxido nítrico no corpo, e dilata os vasos sanguíneos.

Por isso, deve-se consumir esses vegetais diariamente em saladas, sopas e outros pratos.

Beba mais líquidos 

Quando há desidratação o sistema circulatório sofre para fazer o sangue circular por todo nosso corpo

Isso pode causar retenção de líquidos e inchaço nas pernas, nos pés ou nas mãos.

Água ou sucos de frutas são as principais opções quando falamos de hidratação para evitar o inchaço.

Chás diuréticos

Entre as opções naturais para combater o inchaço você pode utilizar chás diuréticos naturais.

O chá verde, ou o chá de cavalinha são opções populares dessas infusões caseiras.

Uma das opções é fazer uma infusão com as folhas do abacate, que tem ação diurética e digestiva entre outros benefícios, porém é contraindicado para gestantes.

A alcachofra também pode ter suas folhas utilizadas para um chá diurético. Seu uso é contraindicado para gestantes e crianças menores de 12 anos devido a falta de estudos para essas populações.

inchaço

Tintura de cardamomo e castanha da Índia

A tintura de cardamomo e castanha da Índia também é um grande aliado que pode ajudar no controle do inchaço e tratar da má circulação.

Uma das vantagens de usar a tintura de cardamomo ou de qualquer outra erva medicinal é que você pode prepará-la em casa ou adquiri-la em lojas especializadas.

O cardamomo e a castanha da Índia têm ação diurética e anti-inflamatória.

Ativam a circulação sanguínea e favorecem o retorno venoso, prevenindo doenças circulatórias e diminuindo sintomas como inchaço.

Com a tintura em mãos basta pingar algumas gotas em um copo com água e tomar.

Outra vantagem é que a tintura tem mais concentração dos princípios ativos do que uma infusão.

Pratique atividades físicas

Nunca é demais falar dos benefícios das atividades físicas para nossa saúde, inclusive para diminuição do inchaço e combate a má circulação.

Mesmo uma caminhada leve pode trazer inúmeras melhorias para seu sistema circulatório.

Evite permanecer na mesma posição, de pé ou sentado, por exemplo, por muito tempo.

Caso seja difícil manter uma rotina de atividades físicas, mover os pés e as pernas quando sentado ou fazer agachamentos quando se passa muito tempo de pé já ajudam.

Outros tratamentos naturais para inchaço e má circulação

Vimos que soluções simples e acessíveis podem ajudar a combater o inchaço e a má circulação.

Mas saiba que há muitas outras receitas naturais esperando serem descobertas.

Você pode aprender a preparar diversas infusões, tinturas e outros remédios naturais com ingredientes e instrumentos que você encontra facilmente.

Faça sua inscrição em nosso curso Curso S.O.S Plantas Medicinais e saiba mais sobre a medicina natural e seus tratamentos.

Como se livrar da Constipação com Folhas e Raízes Naturais

 

A constipação é um problema que pode afetar qualquer um de nós. Saiba como lidar com ele de maneira natural direto da sua casa.

Quem nunca teve dificuldade de ir ao banheiro uma ou outra vez na vida? Isso pode ser constipação.

A constipação ocorre quando a frequência de evacuações é menor do que três vezes por semana. Sendo que cada um de nós pode evacuar cerca de 3 até 12 vezes por semana.

O esforço para evacuar e os pobres resultados são outros sinais para a constipação.

Fezes com ressecamento e presença de dor, diminuição de volume e peso ou com coloração mais escura ou muito clara também podem ser denúncia de constipação ou outro problema intestinal.

É um assunto pouco discutido, mas temos que encarar esse problema. 

E não tema! Há soluções naturais ao seu alcance. Leia mais e descubra.

Causas da constipação intestinal

As causas da constipação incluem dieta pobre em fibras e pouca ingestão de líquidos.

A constipação pode surgir de uma série de fatores. Já mencionamos os hábitos alimentares, mas além deles geralmente o sedentarismo e outras comorbidades podem trazer dificuldades no trânsito intestinal e evacuação.

As emoções também podem ter influência sobre o funcionamento dos intestinos, por isso é importante observar como está sua ansiedade e seu humor geral.

Não podemos esquecer que também há alguns medicamentos que podem interferir no funcionamento normal dos intestinos (como diuréticos e antidepressivos etc.).

Quando existe o incômodo da constipação podemos evitar outras pessoas ou nos envolvermos em algumas atividades.

Para aliviar ou curar esse problema podemos contar com folhas e raízes naturais.

Tipos de constipação

Há basicamente dois tipos de constipação para a medicina natural:

  • Excesso–calor–secura: que pode apresentar constipação intestinal com fezes ressecadas; secura na boca; língua com cobertura amarelada e ressecada entre outros sinais.
  • Deficiência: constipação intestinal com fezes de consistência normal; língua com aspecto normal.

Assim, podemos pensar em compensar o equilíbrio do excesso de calor com uma dieta e remédios naturais, que podem ser feitos em casa, que incluam elementos frios e úmidos.

E por outro lado, é possível buscar suprir a deficiência que influencia a flora intestinal e seu funcionamento com outras receitas naturais.

Como evitar constipação intestinal

Inclua o consumo de grãos integrais na sua dieta, isso auxilia na retenção de água no intestino, o que aumenta o volume fecal, além de estimular a propulsão das fezes, facilitando sua eliminação. 

O consumo de folhas verdes escuras e probióticos são outras adições importantes que podem ajudar a vencer a constipação.

Os probióticos são bactérias que ajudam o corpo a decompor a matéria alimentar e na absorção dos nutrientes trabalhando junto com as enzimas digestivas.

Ervas naturais para constipação

Entre as diversas folhas e raízes naturais usadas para tratar a constipação existem aquelas com efeitos mais fortes.

Algumas dessas plantas são ricas em antraquinonas (sene, cáscara ­sagrada e ruibarbo), substâncias que agem aumentando o movimento peristáltico intestinal, podendo se tornar um hábito, e por isso devem ser usadas por tempo limitado.

Algumas das plantas indicadas para o tratamento da constipação são:

  • Tamarindus indica (tamarindo)
  • Cassia occidentalis (sene)
  • Rhamnus purshiana (cáscara sagrada)
  • Rheum officinale (ruibarbo)
  • Cynara scolymus (alcachofra)
  • Maytenus ilicifolia (espinheira santa)
  • Peumus boldus (boldo do chile)

Você pode fazer uma infusão, um chá, com todas essas ervas. 

Erva para tratar constipação

Uma planta muito utilizada para auxiliar o trânsito intestinal, e que consequentemente age para curar a constipação é o psyllium.

O psyllium é originário de um arbusto (Plantago ovata) e é extraído da casca de suas sementes. 

Possui um alto teor de fibra solúvel e mucilagem possuindo uma infinidade de benefícios para a saúde.

A mucilagem, no sentido botânico, é uma substância vegetal, viscosa e que aumenta de volume sob a ação da água, tendo propriedades adesivas e espessantes. 

As mucilagens são utilizadas como reguladoras do trânsito intestinal.

A quantidade diária indicada de psyllium é de uma colher de sopa por dia, o equivalente a 9 gramas

Utilize sempre o psyllium puro, sem adoçante ou outros aditivos.

Conheça mais receitas naturais para tratar a constipação

A constipação pode ser mais do que só uma indisposição passageira e por isso reconhecer os sintomas e seus tipos é importante.

Além disso, conhecer os recursos naturais disponíveis (muitas vezes até no quintal de casa!) é enriquecedor e de grande valia para nós e nossa família.

Uma receita que você encontra em nosso curso S.O.S Plantas Medicinais é a da linhaça lunarizada que ajuda a combater a constipação intestinal.

Quer saber mais? Inscreva-se em nosso curso S.O.S Plantas Medicinais.

Como Fortalecer o Sistema Respiratório com Chás Medicinais?

Saiba como fortalecer seu sistema respiratório com a medicina natural e alguns de seus chás medicinais.

Para cuidar do nosso sistema respiratório, ainda mais em tempos de COVID-19, podemos acrescentar o uso de plantas medicinais às já conhecidas recomendações de não fumar e evitar espaços com poluição.  

Os pulmões e toda a estrutura do nosso sistema respiratório são essenciais na manutenção e na qualidade de vida que temos.

Fortalecer o sistema respiratório é vital para melhorarmos nossa saúde e nos prevenirmos de diversos males.

Sistema respiratório na medicina natural

Na medicina natural consideramos que o sistema respiratório faz a intermediação entre o exterior e o nosso interior.

Ele também rege o nosso sistema imunológico segundo as sabedorias ancestrais.

Essa imunidade é construída através de meridianos embaixo da nossa pele que criam uma barreira protetora.

E dentro dessa visão natural a doença se apresenta enquanto um desequilíbrio de todo um sistema.

A melancolia e a tristeza podem ser sinais de desequilíbrios do sistema respiratório, por exemplo.

Patologias do sistema respiratório podem ser classificadas como do tipo frio ou do tipo calor acompanhadas ou não de umidade.

E para cada tipo se usa um grupo de ervas e preparos diferentes.

Problemas do sistema respiratório

Os problemas respiratórios abrangem uma vasta gama de doenças e distúrbios que afetam os pulmões e as vias respiratórias.

Duas grandes categorias dentro deste sistema são problemas das vias respiratórias superiores e das cias inferiores. 

Perturbações nas vias aéreas superiores envolvem o resfriado comum, ou quaisquer outros incômodos no nariz, seios da face, boca e garganta.

Esses tipos de problemas são geralmente mais fáceis de cuidar do que os distúrbios das vias respiratórias mais baixas, e que afetam os brônquios e pulmões. 

A maioria das pessoas sofre de uma ou duas infecções respiratórias por ano, por isso todos nós sabemos como isso pode perturbar nosso dia a dia e mudar nossa agenda inesperadamente.

Para evitar que esses transtornos aconteçam, ou para diminuir sua intensidade, devemos fortalecer nosso sistema respiratório.

Fortalecendo o sistema respiratório

Para evitar que o contato com os microrganismos que estão dispersos no ar causem problemas como resfriados, dor de garganta ou bronquite e outros, nosso sistema respiratório deve estar a postos!

Como evitar que esses invasores microscópicos nos afetem? O que podemos fazer a respeito? 

A resposta mais simples é ajudar os antioxidantes a desenvolver e cumprir suas tarefas. E isso pode ser feito inclusive através da alimentação.

De modo geral, para fortalecer seu sistema respiratório você deve cuidar da sua alimentação e manter uma vida ativa.

Nesse caso, a medicina natural recomenda o consumo de alimentos brancos e/ou de sabor levemente picante diariamente.

Opções como alho, cebola e agrião que você pode incluir como temperos nas suas refeições ou da maneira que fizer mais sentido para seu paladar- lembrando de manter o seu sabor picante. 

Como o sistema respiratório trabalha em conjunto com o intestino grosso todo alimento ou atividade que você fizer para beneficiar os intestinos e a flora intestinal vão se refletir em benefícios para ambos grupos.

O consumo de probióticos como missô auxilia demais a saúde dos intestinos e se reflete no fortalecimento do sistema respiratório.

O uso de infusões para ajudar a tratar problemas de saúde, mesmo respiratórios como gripes e resfriados, é tradição de muitas culturas.

Vamos ver agora como os chás medicinais podem ajudar a fortalecer o sistema respiratório.

Chás para fortalecer o sistema respiratório

Um estudo de 2020 da Sociedade Europeia de Cardiologia, afirma que tomar chá, ao menos três vezes por semana, reduz os riscos de complicações no sistema circulatório como derrames fatais e os riscos de morte por outras causas.

Chá de gengibre

O gengibre ajuda a desinflamar os brônquios e promover uma melhor respiração.

O gengibre auxilia na eliminação da mucosidade e das toxinas acumuladas nos brônquios e pulmões.

Por possuir propriedades expectorantes e anti-inflamatórias, o gengibre elimina o muco dos pulmões.

Ele também fortalece o sistema imunológico, prevenindo infecções respiratórias.

Como fazer o chá de gengibre

Você pode fazer sua infusão com um pequeno pedaço do gengibre, de cerca de 2cm, ou uma colher de pó de gengibre para um litro de água. 

Você ferve a mistura de 8 a 10 minutos e deixe amornar para coar seu chá e tomá-lo em seguida.

Contraindicações do chá de gengibre

O chá de gengibre é contraindicado para pessoas com cálculos da vesícula, com irritação no estômago e pressão alta severa.
Também não deve ser consumido por pessoas que tenham problemas de circulação ou que estejam utilizando medicamentos anticoagulantes.

Crianças com menos de 6 anos do mesmo modo não devem consumir esse chá.

O uso por gestantes deve ser supervisionado pelo médico.

A ingestão excessiva do chá de gengibre pode causar arritmias e, dependendo da dose utilizada, algumas pessoas podem apresentar irritação no estômago, diarreia, cólicas, pressão alta e tonturas.

Chá de Alecrim

O chá de alecrim atua na retirada da mucosidade dos pulmões e diminui a inflamação do tecido irritado, fortalecendo seu sistema respiratório.

Ele também é um digestivo e uma ótima opção de remédio natural para a gripe, ou nos casos de excesso de muco no peito.

O alecrim também atua no fortalecimento do sistema imunológico através das suas propriedades antioxidantes. 

Contraindicações do chá de alecrim

Não se indica o uso do chá de alecrim para casos de problemas de próstata e em pessoas com gastrenterites e dermatoses em geral. 

Também não se deve oferecer o chá de alecrim para crianças menores de 3 anos de idade.

E o uso é contraindicado para gestantes, por falta de estudos com essa população.

Conheça outras receitas para fortalecer seu sistema respiratório

A medicina natural oferece diversas soluções para fortalecer e tratar de males do nosso corpo, inclusive do sistema respiratório.

Aprenda mais sobre o papel do calor, do frio, e da umidade para a saúde do nosso corpo de acordo com a medicina natural.

Inscreva-se em nosso curso Curso S.O.S Plantas Medicinais.

Curso de Ervas Medicinais ensina a tratar 24 doenças

Aprenda a cuidar em casa dos problemas de saúde mais comuns através do Curso SOS Plantas Medicinais.

Às vezes podemos nos perguntar sobre alguma receita de um chá ou outro remédio caseiro de que ouvimos falar ou que já utilizamos, mas que não lembramos, ou não sabemos seu preparo.

Cuidar de uma ferida, uma dor de estômago ou mesmo da ansiedade pode ser algo que podemos fazer em casa, como um cuidado inicial antes de procurar ajuda médica.

Sem substituir a avaliação de um profissional da saúde essas receitas caseiras vêm sendo passadas de geração para geração nas mais diferentes culturas.

Curso de ervas medicinais e ancestralidade

Desde o Antigo Egito que se estudam as plantas medicinais e suas propriedades terapêuticas. Pelo menos, é dessa época que temos os primeiros registros organizados de ervas medicinais.

Um curso de ervas medicinais pode oferecer uma ampla visão sobre o universo da medicina natural, trazendo um pouco do senso comum associado às diferentes plantas mas também a visão científica sobre o conteúdo.

Ou seja, num tom às vezes informal e de vez em quando mais formal você ficará sabendo sobre as plantas e suas partes importantes para a fitoterapia.

Em alguns momentos a aula talvez lhe remeta a uma tarde na cozinha em que as mulheres da família- geralmente elas!- falavam sobre chá e outras preparações com as ervas do quintal.

Hoje em dia muitas de nós não temos mais a terra tão prontamente acessível para nossos pés, e pequenos vasos de ervas tomaram o lugar dos vastos quintais que ainda encontramos pelo interior do país.

Programa do Curso de Ervas Medicinais

No curso de ervas medicinais do Universo da Floresta você conhecerá os sistemas do corpo, sua organização, e como a medicina natural encara cada um deles.

A partir desse conhecimento você poderá diagnosticar as causas de diferentes sintomas e terá segurança para utilizar remédios naturais para 25 enfermidades.

Assim você também aprenderá os procedimentos da fitoterapia básica como: 

  • reconhecer e coletar plantas medicinais; 
  • armazenar as ervas medicinais;
  • extrair os princípios ativos das ervas;
  • preparar um remédio;
  • realizar um diagnóstico dos sintomas;
  • indicações e contraindicações, bem como dosagens apropriadas de inúmeras plantas medicinais. 

Além de chás você aprenderá a fazer tinturas, pomadas e outras opções para uso interno e uso tópico.

Tudo dependerá da indicação, guiada pelo diagnóstico realizado de acordo com os princípios da fitoterapia.

Diagnóstico no curso de ervas medicinais

Na leitura dos sinais feita de acordo com as medicinas ancestrais deve-se ter atenção à estrutura de estabelecimento de uma doença.

A enfermidade penetra através desde os níveis mais sutis, que tem seu ápice no pensamento e vai se adensando até se manifestar nos órgãos densos.

Uma tosse pode ser um sinal de comprometimento do sistema respiratório em diferentes níveis que chega até a atingir os órgãos mais densos desse sistema, os pulmões.

Esse entendimento difere do pensamento da medicina ocidental tradicional, ainda que possa haver aproximações na estrutura de pensar as doenças e suas causas. 

Enfermidades no Curso de Ervas Medicinais

No curso de ervas medicinais você aprenderá a tratar alguns dos seguintes males:

  • ansiedade
  • artrite e artrose
  • dor de garganta
  • rinite
  • constipação
  • cólicas menstruais
  • picadas de inseto

O tratamento proposto pelas medicinas ancestrais pode atuar tanto na causa quanto no efeito da maioria das enfermidades.

Tudo depende de qual doença estamos falando, se ela já se instalou de fato, se é uma situação crônica ou aguda, como uma lesão provocada por uma pancada, por exemplo. 

Importante lembrar que os remédios naturais podem não ser a resposta final para o seu problema e se os sintomas persistirem ou forem graves a consulta com uma médica é indicada.

Quem pode fazer o Curso de Ervas Medicinais?

O Curso de Ervas Medicinais do Universo da Floresta é um curso livre que não exige escolaridade mínima ou limite de idade.

É um curso de fitoterapia com certificado direcionado a pessoas interessadas a se cuidarem melhor, sem intenção de prescrever receitas de remédios naturais profissionalmente.

Curso de Ervas Medicinais para você

Nosso Curso S.O.S Plantas Medicinais é um curso de ervas medicinais que se propõe a ensinar receitas naturais para tratar 24 dos males mais comuns.

Isso a partir do conhecimento de procedimentos e princípios da medicina natural focados em 44 plantas medicinais e mais de 50 receitas que você pode fazer em casa.

A medicina natural tem ganhado cada vez mais espaço na medicina alopática e na sociedade, sendo inclusive inserida na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS como a fitoterapia.

Enriqueça sua vida com o nosso Curso de Ervas Medicinais.

Inscreva-se agora no Curso S.O.S Plantas Medicinais.

Quem é a professora

A naturóloga Jímile de Assis é formada em naturologia, com especialização em medicina tradicional chinesa, acupuntura japonesa e ginecológica. Fez 3 anos de pesquisa no cerrado da Bahia com raizeiras que me ensinaram os segredos da medicina ancestral. É todo este conhecimento que ela compartilha com você.
Para fazer a inscrição, toque no link  Curso S.O.S Plantas Medicinais.

 

Curso de Plantas Medicinais: O que é fitoterapia e como aprender mais

Aproveite a nossa rica biodiversidade e aprenda a prevenir e tratar diferentes males de modo prático através do Curso de Plantas Medicinais.

Para conhecer mais sobre ervas e suas aplicações terapêuticas que podem ser realizadas na sua casa, você pode contar com nosso curso de plantas medicinais.

Desde tempos remotos a humanidade vem utilizando plantas com propriedades terapêuticas e/ou psicoativas para lidar com lesões e doenças ou mesmo para desfrutar de outros efeitos por motivos religiosos ou para entretenimento.

A fitoterapia surge como uma maneira de organizar o conhecimento sobre as plantas medicinais, cuidados e seus usos terapêuticos.

Benefícios das ervas medicinais

Algumas plantas contêm compostos fitoquímicos que atuam na prevenção, defesa e até mesmo no tratamento de doenças.

Conhecer essas propriedades e utilizá-las para seu benefício e ajudar outras pessoas é possível através do conhecimento contido no Curso de Plantas Medicinais.

Conheça o papel do equilíbrio na medicina natural no Curso de Plantas Medicinais

Trabalhar o equilíbrio dos sistemas corporais é uma das metas da fitoterapia e seu aprendizado faz parte do conteúdo do nosso curso de plantas medicinais.

Não só de remédios se faz um corpo e mente sãos. Uma rotina equilibrada de exercícios e dieta fazem parte de uma vida mais saudável.

Você pode ficar atenta aos sinais que afetam o equilíbrio do nosso organismo e que envolvem uma dinâmica que não é muito diferente daquela do mundo exterior.

Os sintomas podem ter as seguintes características:

  • Frio
  • Calor
  • Estagnação
  • Muco
  • Deficiência

Cada um desses sintomas pode indicar um certo tipo de desequilíbrio e desenvolver determinadas complicações que a medicina natural pode identificar e promover a terapia adequada.

Um pouco da história da fitoterapia

Cada povo parece ter sua própria história do desenvolvimento da fitoterapia. 

No Curso de Plantas Medicinais você também pode ser envolvida por uma experiência de criação da medicina natural- compartilhando uma sabedoria que atravessa milhares de anos e diversas civilizações humanas.

No antigo Egito há mais de dois mil anos, antes dos primeiros médicos gregos, já havia uma medicina egípcia organizada em torno de uma terapêutica natural.

Entre as plantas medicinais utilizadas pelos antigos egípcios estavam o zimbro, o funcho, o alho e o lírio dedicados a criar diferentes remédios naturais.

Tempos depois Hipócrates que reuniu a totalidade dos conhecimentos médicos de seu tempo no conjunto de tratados conhecidos pelo nome de Corpus Hipocraticum, onde, para cada enfermidade, descreve um remédio de origem vegetal e seu tratamento correspondente.

Hipócrates é considerado muitas vezes como o “pai da medicina”, a medicina egípcia, e seu maior representante, Imhotep, o precedem mais de dois mil anos.

Anos depois Galeno passou a utilizar as plantas in natura e não mais em pó, em preparações terapêuticas, no que ficou conhecido até hoje como “farmácia galênica”.

Tais medicamentos utilizavam solventes como álcool, água ou vinagre, para conservar e concentrar os componentes ativos das plantas, sendo utilizadas para preparar unguentos, emplastros e outras formas galênicas.

Essas formulações são similares às utilizadas atualmente pela fitoterapia.

No século XVI o médico suíço Paracelso desenvolveu uma teoria que buscava relacionar as características morfológicas das plantas medicinais com suas propriedades terapêuticas.

Paracelso considerava que uma doença podia ser curada com aquilo que tivesse semelhança com ela. 

Essa ideia não era original, pois indígenas da América do Sul e, provavelmente, de outros continentes, tinham as mesmas idéias sobre os sinais das plantas e suas relações com o valor curativo.

Desde o século XV que se empreendeu um esforço para catalogar os vegetais citando suas características externas e propriedades internas organizadas e relacionadas às enfermidades que tratavam.

A história indica que a ideia original da medicina era cuidar através da dieta, do que se come, ou, em outras palavras, se buscava a indicação das plantas medicinais corretas para consumo.

Fitoterapia hoje em dia

Atualmente a fitoterapia conta com pesquisas científicas que avaliam propriedades químicas, toxicológicas e farmacológicas de inúmeras plantas medicinais.

A própria Organização Mundial de Saúde (OMS) a importância da fitoterapia e valida seu trabalho, especialmente junto à grande parte da população dos países em desenvolvimento.

Estima-se que 80% desta população depende da medicina tradicional para sua atenção primária de saúde, incluindo práticas tradicionais nos seus cuidados básicos de saúde e utilização de plantas ou preparações destas. 

Hoje a medicina natural vem se aliando cada vez mais aos saberes médicos contemporâneos para proporcionar mais saúde para as pessoas.

Você sabia que muitas das drogas sintéticas usadas hoje são baseadas em compostos bioquímicos de plantas?

Podemos nos beneficiar dos princípios ativos benéficos à saúde dessas ervas através de medicamentos manipulados em farmácia, industrializados ou in natura, como os chás.

Um curso de plantas medicinais pode lhe ensinar a cuidar de alguns males comuns com plantas medicinais acessíveis que você transforma em preparações terapêuticas.

Mais vantagens da fitoterapia

A sua origem vegetal, que exclui componentes sintéticos, apresenta menos reações adversas e efeitos colaterais em comparação a medicações alopáticas.

A fitoterapia não busca isolar unicamente um componente ativo de uma planta, como na farmacologia comum, mas utilizar o extrato complexo e mais puro da planta medicinal com menos processamento.

A planta inteira é o princípio ativo com seus muitos constituintes trabalhando em sinergia de acordo com a fitoterapia. 

Ao isolar componentes individuais, alguns dos benefícios terapêuticos da planta serão perdidos e as margens de segurança para seu uso são ameaçadas.

A biodiversidade brasileira é outro ponto positivo para a fitoterapia e o Curso de Plantas Medicinais do Universo da Floresta: é geralmente fácil encontrar matéria-prima para seus remédios em qualquer lugar!

Aprenda mais no Curso de Plantas Medicinais 

A fitoterapia é um universo rico e milenar que pode ajudar você a cuidar melhor de si e de outras pessoas. Para isso você conta com nosso Curso de Plantas Medicinais.

Inscreva-se já no nosso Curso S.O.S Plantas Medicinais e aprenda a lidar com as doenças mais comuns, males crônicos e lesões com receitas que você faz em casa!

 

Como escolher o melhor Curso de Fitoterapia?

Se você quiser aprender mais sobre plantas medicinais e como utilizá-las para prevenir e tratar doenças, você pode buscar um curso de fitoterapia.

A propósito, a fitoterapia é um conhecimento milenar que é desenvolvido por diferentes culturas e busca conhecer as plantas medicinais para utilizá-las de maneira terapêutica.

Atualmente a fitoterapia também pode ser sinônimo de terapia alternativa, e de remédios industrializados derivados do extrato de plantas.

Fitoterapia não significa apenas o uso de plantas medicinais.

Há diferentes opções de cursos de fitoterapia com diferentes enfoques no mercado de educação.

Vamos falar um pouco sobre algumas dessas alternativas.

Cursos de fitoterapia

Inicialmente você deve se perguntar qual sua necessidade quando escolher um curso de fitoterapia.

O curso de fitoterapia pode ser oferecido em cursos de extensão, pós-graduação e cursos livres. 

Ainda pode haver diferentes modalidades: presencial, online (EAD – educação à distância), ou híbrido (um misto de presencial e online).

Você deve verificar a grade curricular das matérias oferecidas assim como deve conhecer a instituição que oferece o curso de fitoterapia.

Há cursos destinados àquelas pessoas que já possuem alguma formação na área da saúde e desejam agregar o conhecimento da fitoterapia na sua prática.

Esse tipo de curso de fitoterapia costuma ser uma pós-graduação.

artrite

Pós-graduação em fitoterapia

As médicas e enfermeiras são algumas das maiores interessadas nesse tipo de curso de fitoterapia já que agrega conhecimento e valores que utilizam no seu cuidado cotidiano de clientes e pacientes.

A categoria médica vem buscando cada vez mais as opções trazidas pela medicina natural para se aproximar de soluções com menos reações adversas e interações medicamentosas.

Na Alemanha, onde surgiu a fitoterapia moderna, a maioria dos prontuários médicos atuais incluem fitoterápicos para tratamentos, inclusive nas emergências.

Por outro lado, existem cursos livres que trazem uma apresentação sobre o universo da fitoterapia e não se aprofundam tanto em fórmulas e procedimentos industriais baseados em extratos de plantas medicinais.

Curso livre de fitoterapia

Um curso de fitoterapia na modalidade livre pode conter uma apresentação breve sobre algumas plantas medicinais e suas aplicações terapêuticas mais profundas.

Nesse segundo grupo você pode encontrar cursos que vão ensinar a cuidar e prevenir diferentes males cotidianos e até amenizar sintomas de doenças crônicas.

Tudo dependerá de quem oferece o curso de fitoterapia e de como ele está organizado.

Um curso de fitoterapia pode trazer informações sobre o melhor momento para a colheita de cada planta, e o período do ano em que ela tem maior concentração de seus princípios ativos. 

Isso depende do enfoque do curso e da sua necessidade e/ou desejo.

Então se você quiser aprender mais sobre aquele chá que circula nas recomendações de avós, mães e outras pessoas para cuidar melhor da sua saúde e da sua família, o curso livre pode ser indicado para você.

Curso de fitoterapia S.O.S Plantas Medicinais

Nosso Curso S.O.S Plantas Medicinais é um curso de fitoterapia que traz informações sobre o  tratamento natural para 24 doenças mais comuns com 44 plantas medicinais e mais de 50 receitas que você pode fazer em casa.

Nele você aprenderá a reconhecer diferentes ervas medicinais e quais partes são usadas para os diferentes tratamentos, também como prepará-las, conservar as plantas medicinais e suas preparações caseiras.

Além disso, você conhecerá os princípios da medicina natural com a professora Jímile.

Nossa professora passou anos estudando a medicina natural em instituições de ensino e também  aprendeu com raizeiras e outras sábias pessoas Brasil afora, receitas milenares de cura.

Este é um curso livre que alia a sabedoria das medicinas ancestrais ao conhecimento científico, sintetizado pela professora Jímile.

Fitoterapia e prescrição médica

Ser um profissional habilitado para prescrever remédios para seus clientes pode demandar mais do que um curso de fitoterapia.

Para trabalhar com a fitoterapia e prescrever profissionalmente fórmulas e preparações você precisa ter uma formação profissional na área da saúde.

Quem prescreve medicamentos e fórmulas fitoterápicas deve ser inscrito num Conselho de Classe Profissional como os de nutrição, farmácia, medicina, enfermagem, ou no Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

O melhor curso de fitoterapia

Escolher o melhor curso de fitoterapia talvez não seja tão difícil assim se você definir qual é seu objetivo.

Para utilizar a fitoterapia profissionalmente você precisa de uma formação na área de saúde além daquela que uma pós-graduação oferece.

Você pode fazer um curso de fisioterapia com certificado no Universo da Floresta.

Nosso Curso S.O.S Plantas Medicinais oferece conhecimento na medida para ampliar seu leque de possibilidades terapêuticas, mesmo que seja para cuidar de você mesma!

artrite

 

Chá para Artrite e Artrose: Como combinar ervas com propriedades anti-inflamatórias?

Combine diferentes ervas para criar um chá para artrite e artrose excepcional.

Fazer um chá para artrite e artrose pode ser uma solução que você mesma pode fazer para lidar com essas e outras doenças através da medicina natural. 

Chás naturais podem aliviar os sintomas de inflamação e ajudar na recuperação dos sintomas que sinalizam uma reação imune do nosso organismo a algum vírus ou lesão, por exemplo.

Então, apesar de tudo, a inflamação é benéfica na maior parte das vezes. Ela é uma reação necessária à nossa recuperação.

Especialmente se essa resposta for do tipo aguda, tal como aquela que ocorre logo após uma lesão ou reação imune a uma bactéria.

Plantas medicinais para chá para artrite e artrose

As ervas têm diferentes propriedades que podem muitas vezes serem combinadas para criar um chá ainda mais potente.

Porém é importante conhecer as propriedades de cada planta utilizada na sua preparação, já que pode haver incompatibilidade entre algumas substâncias que podem reagir entre si e com medicamentos alopáticos.

Observar contraindicações e reações adversas faz parte do saber ancestral que guia a combinação de infusões, inclusive de um chá para artrite e artrose.

Identifique as plantas medicinais corretas para seu chá para artrite e artrose

Reconhecer a erva é um dos primeiros passos necessários para criar seu chá para artrite e artrose.

É importante que a planta não esteja dividida em componentes muito pequenos, triturados de modo que não possamos identificar a planta, como naqueles saquinhos que vemos em alguns comércios.

A planta seca e triturada, quase pulverizada às vezes, oferece somente seus princípios mais voláteis, deixando de lado aqueles que regularmente são os mais importantes da erva.

Então cuidado ao selecionar suas ervas!

Combinações de ervas para fazer seu chá para artrite e artrose

Você pode combinar diferentes ervas com propriedades anti-inflamatórias para fazer seu chá para artrite e artrose.

Mas é importante observar as indicações e contraindicações de cada planta e quais partes devem ser utilizadas na sua infusão.

Tendo reforçado essas observações vamos ver algumas sugestões de combinações de ervas para seu chá para artrite e artrose.

Algumas ideias vão de encontro a preferências de sabor, aromas e até coloração do seu chá!

Você pode usar o gengibre ou o limão para reforçar o sabor ou o perfume do seu chá, por exemplo.

Fique à vontade para criar suas próprias receitas. E para fazer suas criações com mais segurança conte com nosso  Curso S.O.S Plantas Medicinais.

Manjericão no chá para artrite e artrose

Uma planta medicinal muito utilizada na medicina natural bem como em tradições de cura e benzimentos é o manjericão, também conhecido como alfavaca.

Essa erva tem propriedades anti-inflamatórias, anti-hemorrágicas, cicatrizantes entre outras.

Utilizada em sucos e até coquetéis alcoólicos, o manjericão pode ser usado num chá junto a outras ervas para uma infusão poderosa contra artrite e outras manifestações inflamatórias.  

Uma sugestão de combinação é usá-la junto ao gengibre e mel, que também fortalece seu sistema imune.

Cereja azeda e hibisco no chá para artrite e artrose

Você pode combinar o chá de cereja azeda, indicado para combater inflamações, como artrite, com o chá de hibisco, que também tem excelentes propriedades anti-inflamatórias.

Gengibre, limão e alho no chá para artrite e artrose

Uma mistura popular que você talvez já tenha utilizado é o chá de gengibre, limão e alho.

Essa infusão tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias.

Isso se deve à alicina, presente no alho, aos compostos fenólicos como o gingerol, do gengibre, e à vitamina C do limão, que ajudam a combater os sintomas de gripe ou resfriado.

Além disso, esse chá ajuda a fortalecer o sistema imunológico e diminuir a duração da inflamação.

Cravo da Índia e gengibre no chá para artrite e artrose

Outra combinação interessante é do cravo da Índia com o gengibre.

Ambas as ervas possuem propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e antissépticas.

Para preparar esse chá, você deve acrescentar 1g de cravo da Índia para cada centímetro de gengibre com casca. 

Coloque tudo em uma panela, ferva de 10 a 15 minutos. 

Deixe esfriar, depois coe e já pode beber o seu chá. 

Unha de gato para seu chá para artrite e artrose

A unha de gato é outra erva anti-inflamatória que pode reduzir o inchaço na artrite. 

Ela pode ser combinada com outras ervas contanto que as contraindicações da unha de gato sejam observadas cuidadosamente.

Tradicionalmente, as pessoas usam essa planta medicinal como anti-inflamatório e para estimular o sistema imunológico.

A unha de gato pode ser consumida em forma de chá da casca, da raiz ou da folha.

Essa erva já teve sua eficácia comprovada na redução do inchaço das articulações em estudos científicos.

Para usar a unha de gato no seu chá para artrite e artrose você deve ficar atenta aos possíveis efeitos colaterais e contraindicações.

Possíveis efeitos colaterais:

  • náuseas e tonturas
  • pressão sanguínea baixa
  • dor de cabeça

Não utilize a unha de gato se você:

  • usar anticoagulantes
  • tomar medicamentos que suprimem o sistema imunológico
  • tem tuberculose

Faça sua combinação de ervas para um chá para artrite e artrose

Vimos que a variedade de ervas e receitas de chá para artrite e artrose é vasta.

Salientamos os cuidados que você deve ter ao consumir as diferentes plantas e sugerimos algumas combinações de ervas para incrementar seu chá.

Para fazer sua própria combinação poderosa de ervas com propriedades anti-inflamatórias sugerimos que você aprenda mais sobre a medicina natural, seus métodos e receitas.

Assim você estará mais segura quando preparar seu chá para artrite e artrose, e outras poderosas infusões e remédios naturais.

Os chás são tratamentos eficazes, mas não são o tratamento natural completo. Para curar realmente as doenças, é preciso antes de tudo ter certeza do diagnóstico. Em seguida, adotar um método de tratamento sistematizado, o que inclui descobrir as causas das doenças. Caso contrário, os chás podem não fazer o efeito desejado ou as doenças voltarem.

Para encontrar o tratamento natural completo, conheça nosso Curso S.O.S Plantas Medicinais.